O setor é responsável por realizar ações que previnam a disseminação do vírus em ambiente hospitalar no HESLMB

Equipe de estudos contra a covid do HESLMB
Equipe do NVEH em reunião para debater estratégias de trabalho. Foto: Divulgação.

Quanto mais for estudada de forma aprofundada e produtiva, mais se estará perto de possível avanços no tratamento e prevenção da Covid-19, não apenas no Brasil, como também no mundo. Visando a segurança dos pacientes, visitantes e colaboradores contra o vírus, o Hospital Estadual de São Luís de Montes Belos – Dr. Geraldo Landó (HESLMB) reforçou os estudos realizados pelo Núcleo de Vigilância Epidemiológica Hospitalar (NVEH).

O NVEH é um segmento operacional que possui a responsabilidade de desenvolver atividades que identifique a presença de doenças virais em ambiente hospitalar. O setor atua na aplicação de iniciativas que visam detectar, investigar e notificar qualquer agravamento ou confirmação de enfermidades epidêmicas, bem como prevê-las, antes que possam se espalhar pelo hospital e comunidade local.

No que se refere à questão estadual, o NVEH do HESLMB faz parte da Rede Estadual de Vigilância Epidemiológica Hospitalar (REVEH), que possui a atribuição de promover e gerenciar estratégias de vigilância epidemiológica hospitalar no estado de Goiás. O núcleo realiza monitoramentos, análises, reúne informações e apoia a capacitação de profissionais de saúde para que trabalhem no combate ao agravamento de doenças oriundas de epidemias.

Boletim Epidemiológico

O NVEH da unidade hospitalar de São Luís de Montes Belos produziu sua primeira edição do Boletim Epidemiológico. Trata-se de um estudo com o objetivo de quantificar informações de atendimentos de pacientes com Covid-19 do hospital desde junho de 2020, que atende a população da região oeste II do estado goiano. Todas as ações do NVEH respeitam as normas exigidas pelo Sistema Nacional de Vigilância em Saúde (SNVS).

A primeira edição do boletim possui dados sobre as internações dos pacientes do HESLMB, bem como o percentual e quantidade de pacientes por sexo, faixa etária, evolução para internação, além dos principais sintomas ocasionados pela Covid-19, as comorbidades mais comuns entre os usuários do hospital e os municípios das pessoas com o vírus que estão no hospital.

“O mapeamento de incidência do Coronavírus no hospital e na própria região oeste II de Goiás é fundamental para continuarmos traçando estratégias de combate ao contágio e disseminação da doença. O ambiente hospitalar é monitorado 24 horas por dia e 7 dias por semana, e sempre respeitamos todas as regulações necessárias para que todos que entrem no hospital não adquira nenhuma enfermidade”, relata Éder Souza, diretor do HESLMB.

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Skip to content